Entre os dias 15 de Dezembro de 2012 e 10 de Fevereiro de 2013, encontra-se patente ao público, no Centro Português de Fotografia (Porto), a exposição “Paris Polaroid” de Nuno Ferreira.
Mais informação pode ser obtida através do site: http://nuno-ferreira.wix.com/paris


Paris Polaroid

“Viajar para um outro país, para uma outra cidade, trás sempre consigo um misto de emoções. Não são apenas rostos diferentes que passam por nós ou uma nova língua que se escuta, nem sequer novos hábitos culturais ou sociais. É a noção de não pertença que, por mais que se tente disfarçar, está lá no nosso consciente. Somos um corpo estranho num organismo formado por ruas, casas, jardins, pessoas que se deslocam de A para B. Nós observamos, tentando descobrir um ritmo próprio, um movimento, um lugar. Por instantes conseguimos fazer parte desse organismo. Este habitua-se à nossa presença. Parece não se importar connosco. Não somos os primeiros intrusos por ali.”

A ideia subjacente a este projecto consistiu na captura de registos fotográficos da cidade de Paris enquanto observada de forma aparentemente despreocupada como por um turista casual, capturando momentos, locais, pormenores, que vão sendo recolhidos para visualização posterior. O facto de ter sido escolhido um suporte como o “Polaroid” prende-se com a necessidade de deixar patente a forma volátil da captura, em forma de instantâneo Polaroid. Neste projecto, a noção de instantâneo reveste-se de todo um outro significado se comparado com o do digital, em plena fase de afirmação aquando da sua realização (2003). A escolha deste suporte em aparente declínio surge também como uma recusa perante uma crescente forma de registo momentâneo, em que se fotografa sem se ver exactamente o quê, e cujo interesse em rever o que se fotografou desaparece tão rapidamente como o “click” do disparo. A espera para ver este outro “instantâneo” torna o produto final alvo de um desejo acrescido, carregado de esperança numa imagem aprazível, que nos transporta uma e outra vez para o momento decisivo, o do disparo.