Projeto: Ria de Aveiro

mm

Paulo Silva

Nascido em Lourosa, Santa Maria da Feira.
Ligado às artes gráficas, começa a fotografar de forma sistemática a partir de 2012, como entusiasta e autodidata. Depressa desenvolve o seu próprio estilo. Fotógrafo paisagista e amante da Natureza, tem no coração a paixão pelas inebriantes paisagens de Portugal, em especial, a Ria de Aveiro. É um mestre na utilização de filtros na câmera, por forma a alcançar o equilíbrio ideal de luz e movimento. A sua filosofia baseia-se em obter a fotografia na hora, reduzindo assim, ao mínimo a posterior edição. Paulo Silva em 2017, foi nomeado "Master Photographer", pela Progrey Filters USA.

Ver todos os Posts

O fotógrafo Paulo Silva percorreu todos os recantos de um dos lugares mais apetecíveis para a fotografia, em Portugal. O seu trabalho capta a magia e intensidade deste paraíso fotográfico, incluindo preciosidades já desaparecidas como o Cais Palafítico das Quintas do Norte.

 

O que o levou a fazer o projeto?
Sempre senti um fascínio enorme pela Ria de Aveiro. Em criança, nas férias de verão os meus pais costumavam levar-me a passear por lá, e recordo-me de no percurso entre Ovar e S. Jacinto ficar colado à janela do carro a olhar a paisagem. Toda aquela envolvência me fascinava, os barcos, as cores, as águas calmas e o cheiro característico da Laguna. Era um mundo novo para mim.

Mais tarde, quando a fotografia entrou na minha vida, decidi embarcar nesta aventura de um projeto fotográfico,e a Ria foi a minha primeira escolha sem hesitar, até pela proximidade.

Canon 6D . Canon 17-40mm @17mm . f13 . 2″ . ISO 200

Que dificuldades encontrou?
Sinceramente não pensei encontrar algumas das dificuldades com que fui confrontado. Não fazia ideia que a Ria é condicionada pelas marés devido á sua proximidade com o mar, e por isso mesmo para contornar este problema, tive de fazer um planeamento do terreno e um estudo dos locais a fotografar.

Várias vezes me desloquei ao  terreno durante o dia  para planear  e estudar para conseguir que tudo ficasse perfeito para a fotografia no dia seguinte. Nem sempre fui bem sucedido, mas tinha um plano B, pelo que foram poucas as vezes que voltei para casa sem nada.

Canon 6D . Canon 17-40mm @21mm . f11 . 1.8″ . ISO 100

O que mais gostou e menos gostou?
A Ria é um local mágico e místico, principalmente ao nascer do sol. Sempre que lá chegava para fotografar ainda de madrugada, rapidamente era absorvido pela sua ambiência e antes sequer de colocar a câmera em cima do tripé aproveitava esse bocadinho para sentir a Ria, e isso sim, foi o que eu mais gostei. O que menos gostei foi a perda, num inverno rigoroso, de um dos melhores spots na Torreira, conhecido pelo Cais Palafítico das Quintas do Norte. Felizmente ainda fui a tempo de o registar no meu projeto.

Canon 6D . Canon 16-35mm @16mm . f11 . 13″ . ISO 640

Que equipamento usou?
Recorri sempre á grande angular e teleobjetiva curta para o registo das minhas imagens. As lentes zoom são muito versáteis para trabalhar a composição da imagem. Trabalhei com vários Sets de filtros, densidade neutra e em gradiente assim como, cabo disparador e tripé.

Canon 6D . Canon 16-35mm @35mm . f11 . 1.4″ – ISO 500

Que técnicas fotográficas usou?
A missão de um fotógrafo de paisagem é tentar registar a realidade, não obstante com uma boa dose de criatividade. Fotografar nas horas douradas põe á prova a gama dinâmica de uma câmara e por isso, utilizei sempre os filtros para tentar balançar e equilibrar a luz. A hiperfocal foi a técnica que usei para registar as imagens com o máximo de nitidez e claro, modo manual. Em algumas fotos, utilizei filtros de 6 e 10 stops e sempre com um polarizador.

Canon 6D . Canon 16-35mm @17mm . f20 . 8″ . ISO 200

Dificuldades técnicas com que se tenha deparado?
A maior dificuldade foi conseguir que os barcos ficassem bem focados. Como é normal na água tudo se move, mas com muita paciência lá consegui. Esse foi o meu maior desafio no projeto e tive de recorrer a habilidades que em nada tem a ver com fotografia.

Canon 6D . Canon 16-35 @30mm . f5.6 . 2″ . ISO 250

Dicas Fotográficas
Se a sua paixão é a fotografia de paisagem pare e olhe á sua volta, mas não tenha pressa. Investir num projeto fotográfico requer tempo e dedicação, quanto mais tempo passar com o seu assunto maiores serão as  probabilidades de sucesso.

  • Utilize  sempre um bom tripé e não pode faltar um bom set de filtros, invista;
  • Use um ponto focal forte;

A seguir á luz, o mais importante é a composição. Procure sempre potenciar o 1º plano, a história de uma fotografia passa por aí;

  • Maximizar a nitidez com a técnica da hiperfocal;

Depois de dominar esta técnica as suas imagens terão mais impacto. Pode parecer confuso mas com as tabelas não há desculpas;

  • Fotografe nas horas douradas;

Estas horas são ótimas para fotografar paisagens por vários motivos principalmente pela luz dourada e ao mesmo tempo o impacto o ângulo baixo da luz ajuda a criar texturas e padrões interessantes.

Canon 6D . Canon 17-40mm @25mm . f11 . 4″ . ISO 400

 

Selecione uma imagem e descreva a sua descrição e edição

Canon 6D . Canon 17-40mm @17mm . f11 . 41″ . ISO 50

Escolhi esta imagem, porque a encaro como uma forma de meditação. Além disso, representa o primeiro trabalho do projeto. Estudei e planeei minuciosamente o local. Esperei e deixei que tudo acontecesse, mas tive o cuidado para que todos os elementos na imagem funcionassem.

Embora estivesse preocupado com as sombras á direita, a cena é mesmo assim, mas mais importante que isso foi, o conceito abstrato do fluxo e qual a velocidade de obturação certa para preservar a quietude da Laguna e isto foi crucial. Para isso usei um filtro de densidade neutra 6 stops. Para preservar a informação no céu, utilizei um filtro em gradiente de 2 stops, que ao mesmo tempo adicionou um pouco de drama.

Como sempre, utilizei o Lightroom para editar a foto. Foram feitos pequenos ajustes, assim como perfil da lente, contraste, saturação e redução de ruído. Por fim fiz um pequeno crop para criar uma simetria e para que todos os elementos funcionassem.

 

Equipamento:
Canon EOS 6D – Canon EF 16-35mm f/4L IS
Canon EF 24-105mm f/4L IS – Samyang 14mm f/2.8
LEE Filters 100mm – Progrey Filters 100mm e 150mm
Manfrotto 055 XPRO3
Manfrotto 190XB
Manfrotto Befree

Subscreva a nossa newsletter

Também poderá gostar