Choupal, o pulmão de Coimbra

mm

Maurício Reis

A fotografia faz parte da minha vida desde sempre, mas com mais intensidade desde 1999, quando comprei a minha primeira máquina digital, com menos de um megapixel de resolução. Entretanto passaram 20 anos e a paixão continua a mesma. Ou ainda maior. Se é verdade que gosto de todos os géneros de fotografia, desde o desporto, moda, retrato e de rua, é na paisagem que encontro o meu equilíbrio. Gosto de me levantar cedo, ou de ficar bem para lá depois do sol se pôr, gosto de sentir o vento, os sons, a natureza...

Visite o meu Website
Ver todos os Posts

Segunda-feira. 8:20h. No carro o termómetro marca -1º. Há três ou quatro carros estacionados. As mãos, mesmo com luvas, ficam rapidamente frias. Está sol, mas a geada ainda toma conta das zonas verdes que estão à sombra. Consegue-se sentir, cheirar e ver o frio.

Terça-feira. 8:25h. Chove torrencialmente. O limpa parabrisas acelera para o máximo. Estou no carro a aguardar que acalme um pouco. As nuvens são escuras, mas aqui e ali há uma aberta que deixa o sol passar… por pouco tempo. Nas zonas de terra o piso está lamacento. Se continuar a chover assim, o impermeável não irá aguentar muito tempo sem começar a deixar passar a água.

Quarta-feira. 8:32h. Estou de calções e t-shirt e a esta hora já estão quase 22º. Saio do carro e sinto uma brisa morna. Está tudo seco e há muitos mais carros estacionados. Ouvem-se os pássaros, as sapatilhas que esmagam as areias e as rodas de algumas bicicletas que serpenteiam os trilhos.

Quinta-feira. 8:15h. Está fresco e nublado, mas não está propriamente frio. Há algum sol. As árvores estão coloridas, com as folhas que as vestem em tons de amarelo, castanho e vermelho. Já há poucas verdes e outras há quase despidas. Consigo sentir o aroma do outono.

Sexta-feira. 8:35h. O dia acordou muito cinzento, com nuvens carregadas no céu. Ameaça chover, mas ainda não caiu um pingo. Está um dia triste. As árvores estão despidas, e também há poucas folhas no chão. Ainda há pouco amanheceu e parece que já está a anoitecer.

Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @55mm . f/5.6 . 1/20″ . ISO 200
Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @46.3mm . f/5.6 . 1/70″ . ISO 200
Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @55mm . f/5.0 . 1/60″ . ISO 200

Podiam ser os dias de uma semana estranhamente anormal no que respeita à meteorologia. Mas não, estes dias são intercalados por outros iguais, cada um na sua época, ou estação, do ano.

São os dias que acompanham quem, por norma, vai fazer exercício físico logo pela manhã para a Mata Nacional do Choupal, o espaço verde que serve de pulmão a Coimbra. É esta a realidade que conheço nos últimos três anos, sensivelmente.

Se, por acaso, está a ler este post e não conhece esta mata em pleno coração de Coimbra, aqui fica o convite. Com o tempo bom, pode trazer uma cesta com o almoço e aproveitar um belo dia em família. Tem um espaço relativamente amplo com mesas e grelhador. No final pode beber o café no bar que serve de apoio ao espaço. Depois pode dar caminhadas pelos trilhos, ficar à sombra a ler um bom livro, ou relaxar junto ao rio Mondego que passa logo ali ao lado.

Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @18mm . f/13 . 1/55″ . ISO 200
Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @48.4mm . f/4.0 . 1/75″ . ISO 200
Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @18mm . f/2.8 . 1/400″ . ISO 200

A minha visita (quase) diária e matinal prende-se, como referi no início, com a prática de exercício. Por uma questão de logística – tenho de deixar a minha filha na escola relativamente cedo -, que coincide com o meu gosto pessoal, prefiro ir ao Choupal logo pela manhã. Serve como um carregador de energia para o meu dia de trabalho.

Como seria de prever, era quase impossível ir para um local tão agradável como este e não aproveitar para o fotografar. A vantagem de podermos ir a um sítio muitas vezes, com tão diferentes condições meteorológicas, com tantas variações de luz, ao longo de meses e passando pelas várias estações do ano, é que ficamos a saber como aproveitá-lo fotograficamente.

Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @32.9mm . f/8 . 1/40″ . ISO 200
Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @55mm . f/4.0 . 1/125″ . ISO 200
Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @21.4mm . f/5.0 . 1/55″ . ISO 200

Há dias em que o nevoeiro torna todo o Choupal num local misterioso, pouco se vê para lá de cinco ou seis metros. Apenas consigo vislumbrar as árvores ao chegar junto delas. Ao longe ou não se vêem, ou são apenas sombras. Se fosse o D. Quixote, bem podia imaginar que estava perante um exército.

Noutros dias o frio vê-se em cada planta, em cada momento de respiração. Um manto branco cobre as zonas mais à sombra. Aqui e ali podemos vislumbrar os raios de sol a trespassar as árvores, oferecendo um espetáculo em que a entrada é gratuita. Só temos de lá estar.

OnePlus X . f/2.2 . 1/100″ . ISO 171
OnePlus X . f/2.2 . 1/120″ . ISO 178
Huawei P20 Pro . f/1.8 . 1/80″ . ISO 50

Com chuva esta visão não é tão agradável, mas do ponto de vista fotográfico temos oportunidade de, nos momentos em que não chove, de fotografar reflexos nas poças de água, o chão brilhante, as árvores com as suas cores ainda mais vivas.

Mas a estação de que mais gosto é mesmo o Outono, quando as árvores e o chão ganham um tom colorido especial, onde imperam os tons amarelos, vermelhos, castanhos. É impossível não parar para fotografar esta dádiva da mãe natureza. Depois só é preciso imaginar um bom enquadramento, escolher as melhores árvores, ou caminho e guardar todas estas cores no cartão de memória.

OnePlus X . f/2.2 . 1/35″ . ISO 142
OnePlus X . f/2.2 . 1/250″ . ISO 100
Fuji X-T1 . Fuji XF18-55mmF2.8-4 @55mm . f/4.0 . 1/30″ . ISO 200

Em termos de equipamento, como vou para o Choupal fazer exercício e não propriamente passear, não posso ir carregado com todo o meu equipamento fotográfico. Julgo que só por duas ou três vezes levei a Fuji (X-T1 e mais recentemente a X-T2) para fotografar, pois é uma câmara leve e relativamente compacta. Mas, mesmo assim, não é prática para quem vai correr. Levar tripé e filtros então é mesmo para esquecer – a não ser que vá mesmo para fotografar, o que por norma não acontece.

Assim sendo, resta o telemóvel com a sua câmara fotográfica. Antes de ter comprado o Huawei P20 Pro tinha um OnePlus X e posso afirmar que fiz muitas fotografias no Choupal com ele de que gosto bastante.

Huawei P20 Pro . f/1.8 . 1/100″ . ISO 80
Huawei P20 Pro . f/1.8 . 1/900″ . ISO 200
Huawei P20 Pro . f/1.8 . 1/280″ . ISO 50

Primeiro comecei por levar o telemóvel para registar a evolução dos meus exercícios. E, porque me fui apercebendo do potencial fotográfico do Choupal, acabei por começar a parar aqui e ali para fazer umas fotografias com o telemóvel. A qualidade das câmaras têm vindo a evoluir nos últimos anos e os resultados são cada vez melhores.

Sem quase dar por isso, tenho agora uma coleção de imagens, um registo fotográfico, do Choupal de que, de certa forma, me orgulho e que muito prazer me dá fazer. Não só consigo “aproveitar-me” deste espaço espetacular para cuidar da minha saúde, como o uso como modelo para as minhas imagens.

Chegado aqui, talvez o leitor ou leitora mais interessados neste fantástico mundo da fotografia questione: “então, só de manhã é que se conseguem fazer fotos interessantes?”. Pois bem, a resposta é um redondo não!

Huawei P20 Pro . f/1.8 . 1/290″ . ISO 50
OnePlus X . f/2.2 . 1/50″ . ISO 115
OnePlus X . f/2.2 . 1/35″ . ISO 130

Como referi atrás, prefiro e dá-me mais jeito estar no Choupal logo pela manhã, mas em dias de sol, os finais de dias podem, em determinadas zonas desta mata, ser mágicos, com aquela luz dourada a mostrar-se aqui e ali. Há raios de sol a tocarem o solo e que viajam por entre ramos e árvores. Há pessoas que caminham e correm e que se tornam silhuetas. Há pequenas plantas que são iluminadas pelo amarelo-alaranjado.

Naturalmente, não é fácil guardar tudo isto numa única visita. Mas experimente chegar bem cedo ao Choupal num daqueles dias de outono em que chove-agora-e-está-sol-logo-a-seguir. Num destes dias pode ser que consiga fotografar as cores do outono, os reflexos que chuva oferece, o sol que penetra por entre as árvores e, se esperar até ao final do dia, pode ser sortudo(a) suficiente para ver a mãe natureza oferecer uma bonita cor dourada de final de tarde. Precisa de sorte mas, mais importante, estar lá!

Huawei P20 Pro . f/1.8 . 1/25″ . ISO 50
Huawei P20 Pro . f/1.8 . 1/100″ . ISO 50

Subscreva a nossa newsletter

Também poderá gostar