A paixão pela fotografia de Natureza e os seus desafios

mm

Daniel Santos

"O meu nome é Daniel Santos, tenho 26 anos e sou fotógrafo de natureza e biólogo. Sempre gostei de estar em contacto com a natureza e desde criança que queria estudar biologia. Mais tarde descobri a fotografia de natureza, que se foi tornando cada vez mais importante ao longo do tempo. Com o meu trabalho, espero não só mostrar a verdadeira beleza da natureza, mas também consciencializar as pessoas para os problemas ecológicos que o planeta está a enfrentar."

Visite o meu Website
Ver todos os Posts

Já em criança gostava de estar em contacto com a natureza e não perdia um único documentário da BBC. Nessa altura, o meu sonho era um dia ser biólogo. Esse sonho perdurou e em 2011 comecei a estudar biologia na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, onde em 2017 terminei o mestrado em Biodiversidade, Genética e Evolução.

Mas foi no início da Licenciatura que descobri a fotografia, quando comprei a minha primeira câmara, uma Nikon d3100. Nessa altura já era óbvio o prazer que tinha a fotografar e o tipo de fotografia que me inspirava mais e foi pouco depois que percebi que um dia gostaria de ser fotógrafo de natureza profissional e combinar o melhor dos dois mundos: biologia e a fotografia.

Nikon D7100 . Tamron 90mmF/2.8 @90mm . f/6.3 . 1/80″ . ISO 500

O que mais me motiva a fotografar a natureza é a oportunidade de contribuir para a proteção do ambiente. A fotografia é conhecida como uma das formas mais eficazes de transmitir uma mensagem e de provocar emoções. Uma simples imagem pode mudar a forma de pensar e pode alertar para problemas que não sabíamos que eram realidade, ou que nunca tínhamos pensado antes.

Estas imagens dão voz às espécies e aos locais selvagens que, de outra forma, passariam despercebidos. Uma simples fotografia de um animal ou paisagem tem uma tremenda importância na conservação da natureza, pois mostra às pessoas a biodiversidade extraordinária que temos no nosso país e sensibiliza para a sua proteção.

Nikon D7100 . Nikon 300mmF/4.0 @300mm . f/4.0 . 1/320″ . ISO 1600

No entanto, a fotografia documental de natureza, que se baseia em criar imagens que reconheçam e mostrem as ameaças para as espécies e para a natureza em geral, é algo que me tem interessado cada vez mais. Apesar de geralmente não transmitir emoções agradáveis, é a forma mais eficaz de sensibilizar as pessoas para estes problemas. Este é o principal motivo que me move a fotografar a natureza, a possibilidade de contribuir para a sua proteção.

Nikon D7100 . Nikon 18-105mmF/3.5-5.6 @90mm . f/8 . 1/500″ . ISO 100

É difícil para mim explicar o meu estilo, mas tento sempre incluir nas minhas imagens o habitat em que os sujeitos vivem, sem esquecer o uso de luz e composições interessantes e criativas. Mais recentemente tenho nutrido um gosto especial pelo minimalismo e também um pouco pela fotografia abstrata. Na fotografia de paisagem gosto de captar os ecossistemas com o mínimo de intervenção humana possível.

Nikon D7100 . Nikon 300mmF/4.0 @300mm . f/6.3 . 1/320″ . ISO 720
Nikon D7100 . Nikon 18-105mmF/3.5-5.6 @32mm . f/9 . 0.4″ . ISO 100

Não é necessário fazer grandes viagens para fotografar natureza, mesmo nos parques e jardins das grandes cidades encontramos várias espécies interessantes. Apesar de grande parte do meu trabalho ser feito perto de casa, tenho de admitir que começo a ter um gosto especial pela exploração de novos locais.

As viagens que faço com o objetivo de fotografar são normalmente dentro do país, mas no outono de 2018 tive a oportunidade de ir ao Parque Nacional dos Pirenéus, que fica do lado de França. Foi um dos locais mais bonitos que já visitei e as oportunidades para fazer grandes fotografias parecem não acabar. Com tantas vistas de cortar a respiração, fotografar paisagens acaba por ser um desafio, pois é difícil decidir o que fotografar.

Nikon D7100 . Nikon 300mmF/4.0 @300mm . f/8 . 1/20″ . ISO 100
Nikon D7100 . Nikon 18-105mmF/3.5-5.6 @30mm . f/8 . 10″ . ISO 100

A fotografia de animais não é diferente, este parque nacional está repleto de biodiversidade única, muita da qual não tive oportunidade de observar e muito menos de fotografar.

Nikon D7100 . Nikon 300mmF/4.0 @300mm . f/4 . 1/800″ . ISO 100

São Miguel, Açores, foi uma outra viagem que valeu a pena. Com paisagens lindíssimas, é um excelente destino para quem gosta deste tipo de fotografia. Para além das paisagens, consegui ainda fotografar algumas espécies de aves.

Nikon D7100 . Nikon 18-105mmF/3.5-5.6 @24mm . f/9 . 1/50″ . ISO 100
Nikon D7100 . Nikon 300mmF/4.0 @300mm . f/4 . 1/400″ . ISO 1100

O maior desafio de viajar como fotógrafo é a escolha do equipamento fotográfico. Eu tento levar apenas o fundamental, especialmente quando implica viagens de avião. O equipamento essencial que utilizo atualmente resume-se a uma câmara, três objetivas, um tripé e um flash: Nikon D7100, Nikon AF-S DX 18-105 mm 3.5-5,6 G ED VR, Nikon 300mm f/4 E PF VR, Tamron SP AF 90mm f/2.8 Di, Tripé 3 Legged Thing Winston, Flash Nikon SB-700 AF. A objetiva Nikon 300mm f/4 E PF VR é a peça mais importante do meu trabalho, tem uma qualidade ótica excelente e é leve e compacta.

O tipo de fotografia que faço implica bastante trekking e, por isso, é especialmente importante manter o peso o mais baixo possível. Na minha mochila tenho sempre estas três objetivas e também o tripé, que considero obrigatório para o meu trabalho, mas nem sempre levo o flash. Outros acessórios relevantes são baterias, cartões de memória extra, um disparador, um kit de limpeza e um saco de plástico para proteger o equipamento caso chova.

Para além destes acessórios importantes para a fotografia, tenho sempre comigo equipamento de orientação e sobrevivência, nomeadamente uma bússola, um estojo de primeiros socorros, um isqueiro e um canivete. Já tive várias mochilas, mas só recentemente encontrei a perfeita para mim, a Lowepro Whistler BP 450 AW.

Apesar do preço ser um pouco elevado, na minha opinião vale a pena, porque é confortável para caminhadas longas, muito resistente e tem espaço suficiente para todo o meu equipamento, comida e para pelo menos mais um casaco impermeável. Caso faça caminhadas de dois dias, é possível retirar o compartimento da câmara e colocar um mais pequeno, ficando mais espaço para a roupa ou outros acessórios. Se fizer caminhadas mais longas, prefiro utilizar uma mochila maior da Monte Campo.

Nikon D7100 . Nikon 18-105mmF/3.5-5.6 @42mm . f/5.6 . 1/40″ . ISO 100

Quando viajo também faço questão de levar o computador portátil e um disco externo para fazer backup dos ficheiros e nunca formato os cartões. Desta forma, tenho sempre as imagens guardadas em 2 locais diferentes. Só mais tarde, já em casa, é que faço a seleção das imagens e a edição. Para a seleção uso o Lightroom e para a edição uso o Photoshop e o Lightroom em conjunto.

O meu processo de edição é bastante simples e tento sempre que o resultado seja próximo do que experienciei ao fotografar determinado sujeito. Como exemplo, apresento aqui o “antes” e “depois” de uma imagem conseguida na serra da Freita.

Nikon D7100 . Nikon 18-105mmF/3.5-5.6 @35mm . f/8 . 1/4″ . ISO 160
Nikon D7100 . Nikon 18-105mmF/3.5-5.6 @35mm . f/8 . 1/4″ . ISO 160

No final de cada viagem, limpo todo o material, incluindo a mochila para evitar que pó e areia danifique a câmara ou as objetivas.

Para quem estiver a dar os primeiros passos na fotografia de natureza, aconselho a treinar a perseverança e a paciência, pois este tipo de fotografia requer muito tempo despendido no campo e muitas vezes volta-se para casa de mãos a abanar. Para aumentar as suas hipóteses de fotografar um determinado animal, estude bem a espécie e tente perceber onde e em que altura é mais provável conseguir encontrá-lo.

Seja criativo e não se limite a seguir as “regras” da fotografia, experimente composições e ângulos diferentes e experimente com as cores e padrões da natureza. Lembre-se que a melhor câmara é sempre aquela que tem! Não caia no erro de comprar constantemente material novo, pois o conhecimento e experiência é sempre mais importante e é o que faz a diferença entre uma fotografia mediana e uma grande fotografia.

Finalmente, a natureza deve estar sempre em primeiro lugar, nenhuma fotografia vale mais do que o bem-estar de um animal ou do que a beleza de uma paisagem.

Nikon D7100 . Tamron 90mmF/2.8 Macro @90mm . f/4.0 . 1/200″ . ISO 900

Subscreva a nossa Newsletter

 

Assine a nossa newsletter e receba as últimas atualizações e novidades da zoom - fotografia prática.




A sua subscrição foi enviada com sucesso.