“Fotografar com luz natural é um desafio constante”

mm

Clara Gamito

"Nasci em Santiago do Cacém e cresci na zona de Sines, na Costa Alentejana. Sou engenheira química de profissão e trabalho em Madrid, onde vivo atualmente. Aproveito o tempo que tenho livre para fotografar, seja perto de casa ou em viagem. A fotografia de paisagem é o meu meio de expressão artística que responde ao meu lado mais criativo e que complementa a minha vida profissional mais racional e metódica."

Visite o meu Website
Ver todos os Posts

A fotografia sempre esteve presente na minha vida. Em casa, os meus pais sempre tiveram máquina fotográfica e aprendi com eles a importância de imortalizar os momentos. No entanto foi bastante mais tarde, já a viver em Madrid, em 2010, que tive a oportunidade de explorar o lado mais técnico e artístico da fotografia.

A paixão até aí tímida despertou e desde então não tenho parado. Pouco a pouco os meus outros interesses pessoais foram-me empurrando cada vez mais para fotografia de paisagem. Na fotografia de paisagem encontro várias das minhas paixões como são as ciências da terra, a tecnologia e as viagens, todas elas unidas à minha necessidade natural de expressão artística.  O meu estilo fotográfico está em constante evolução, sempre com o objetivo de transmitir o que quero, com a minha própria interpretação.

Sony Alpha 7R II . 30″ . ISO 6400
Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @26mm . f/9 . 20″ . ISO 100

Viajar e fotografar são duas grandes paixões que se combinam na perfeição, e que por sorte partilho com o meu marido, portanto as nossas viagens têm sempre uma componente fotográfica muito importante. Nos últimos anos tenho visitado sítios muito diferentes: as paisagens vulcânicas e tropicais da Indonésia, a imensidão dos desertos e parques naturais dos Estados Unidos, as paisagens nórdicas da Islândia e Noruega no inverno, as Montanhas Rochosas do Canadá, os Alpes Suíços e as Dolomites, entre tantos outros.

A beleza natural dos locais que tenho visitado impressiona-me sempre e fico sempre com vontade de voltar. Não sei se poderia destacar um só local dos que visitei: entre montanhas, vulcões, glaciares, praias, desertos, cascatas, lagos, não há comparação objetiva possível e todas são paisagens que me emocionam e motivam.  Tenho uma debilidade pelas paisagens nórdicas e as Auroras Boreais que são um fenómeno que nunca me cansarei de ver.

Canon 6D . Canon EF70-200mmF4 @93mm . f/5 . 1/400″ . ISO 400
Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @16mm . f/4.0 . 30″ . ISO 800

Que equipamento utilizavas inicialmente, quando deste os primeiros passos na fotografia, e qual a tua actual combinação de câmaras e objectivas?
Não gosto de dar muita importância ao equipamento, quanto a modelos, pois cada fotógrafo é diferente e o que é melhor para mim, não tem porque ser para outra pessoa. Para mim o melhor equipamento é aquele com que me sinto mais confortável e tem as características necessárias para poder obter os resultados que quero.

Quando se começa em fotografia é fácil deixar-se levar pela ideia de que o equipamento é o que nos vai permitir melhorar. No entanto o equipamento é apenas a ferramenta, que pode até ser a mais avançada do mercado, mas me servirá de pouco se não a manipular agilmente e como uma extensão de mim mesma. Embora seja uma apaixonada pela tecnologia esforço-me por resistir ao consumismo e limitar o meu equipamento ao que uso realmente e evitar comprar características que não necessito.

Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @16mm . f/11 . 1.3″ . ISO 50
Canon 6D . @15mm . f/8 . 0.6″ . ISO 100

Respondendo à pergunta, no meu caso particular comecei a fotografar com uma reflex de gama de iniciação com sensor formato APS-C e a típica objetiva de kit (18-55mm). Como cada vez me orientava mais pela fotografia de paisagem, fui pouco a pouco investindo em equipamento mais adequado ao que queria fotografar, em objetivas mais angulares, e mais tarde numa câmara full frame com um sensor de maior qualidade.

Canon 6D . @15mm . f/8 . 1.6″ . ISO 50
Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @16mm . f/8 . 1/15″ . ISO 100

Quais as vantagens e desvantagens que poderias destacar nos sistemas mirrorless e quais foram os motivos que te levaram a optar pela Sony?
Passados vários anos com o mesmo equipamento, comecei a sentir-me limitada quanto à qualidade que este me dava. Depois de analisar várias opções e o que realmente necessitava, acabei por decidir mudar completamente de sistema, para mirrorless. Para além do salto de qualidade em comparação com o equipamento que tinha, o peso foi o outro motivo que mais influenciou na decisão. Passados 2 anos, posso dizer foi uma decisão acertada e que ganhei muito em conforto e qualidade de imagem.

Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @27mm . f/9 . 5.0″ . ISO 50
Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @16mm . f/5.6 . 30″ . ISO 100

No que diz respeito ao peso, a mudança permitiu-me poupar vários quilos e também bastante volume. Tudo é mais pequeno, câmara, objetivas, filtros, tripé, mochila e tudo soma. Quanto a prestações, ganhei em qualidade, não só pelo sensor, que continua a ser um dos melhores do mercado em ruído e gama dinâmica, mas também pela qualidade superior das objetivas que escolhi relativamente às que tinha anteriormente. As focais com que trabalho atualmente são: 16-35mm f/4, 15mm f/2 e 24-105 f/4 (em full frame).

Canon 6D . Canon EF17-40mmF4 @17mm . f/8 . 30″ . ISO 125
Canon 6D . Canon EF24-105mmF4 @24mm . f/8 . 30″ . ISO 200

Uma vez que falas numa série de acessórios, quais os que te acompanham sempre?
À parte da câmara e das objetivas, considero indispensáveis: tripé (pequeno e leve mas estável), filtros de rosca (polarizador e ND de 3, 6 e 10 passos), baterias, cartões, panos de limpeza e mochila confortável e segura.

Para quem viaja bastante como no teu caso, certamente as limitações de peso na bagagem de cabine são um desafio. Frequentemente és confrontada com esse tipo de decisões?
Em viagem tento adequar o equipamento ao tipo de viagem e aos locais que vou fotografar. Tento ser sempre bastante racional e não levar equipamento desnecessário.Se vou pa ssar muito tempo com a mochila às costas é possível que deixe alguma objetiva em casa, mesmo sabendo que provavelmente a usaria. O cansaço não só é inimigo da criatividade e da paciência, mas pode fazer a diferença no momento de decidir avançar um pouco mais para chegar a uma localização espectacular. No caso das viagens de avião, com exceção do tripé, o equipamento vai sempre comigo na bagagem de mão.

Canon 6D . 1/60″ . ISO 50
Canon 6D . 1.3″ . ISO 320

Podemos perguntar que configurações usas habitualmente para este tipo de fotografia?
As configurações dependem muitíssimo das condições de luz e do que esteja a fotografar. Fotografar com luz natural é um desafio constante. Não tenho regras estabelecidas, adapto-me no momento à situação. Uso toda a gama de aberturas, velocidades e sensibilidades que me permite o meu equipamento sem comprometer a qualidade, em função da luz disponível e do resultado que pretendo obter.

Sony Alpha 7R II . 5″ . ISO 1000
Sony Alpha 7R II . 2.5″ . ISO 1000

Qual o teu fluxo de trabalho habitual após a captura?
Após a captura descarrego as fotos num disco rígido do qual tenho uma cópia de segurança física e outra online numa nuvem. A partir daí não tenho um fluxo de trabalho definido. Normalmente uso o Bridge para rever as fotos e vou selecionando fotos à medida que tenho disponibilidade para revelar e editá-las, em Camera Raw e Photoshop.

Quais os principais desafios que consegues apontar neste género de fotografia?
Para mim o principal desafio da fotografia de paisagem são as condições de luz e atmosféricas.

Uma boa planificação é fundamental para poder aproveitar ao máximo os sítios, mas as condições atmosféricas são incontroláveis e difíceis de prever. Ter um plano B e saber adaptar-se às circunstâncias pode fazer com que um dia que parecia condenado ao fracasso seja um sucesso.

Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @26mm . f/16 . 1/50″ . ISO 200
Canon 6D . @15mm . f/8 . 1.0″ . ISO 125

Que conselhos darias a alguém que pretende iniciar-se na fotografia de paisagem?
Principalmente que adquira conhecimentos sólidos de teoria e técnica fotográfica, à base de estudar e sobretudo de praticar muito. Conhecer o equipamento como a palma da mão e não mudar de equipamento sem ter sentido na prática as limitações reais do que se tem. Ter em mente que uma boa edição não pode salvar uma má fotografia, mas que uma boa fotografia é sempre uma boa fotografia, com ou sem edição.

Canon 6D . Canon EF17-40mmF4 @17mm . f/11 . 1.3″ . ISO 50
Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @27mm . f/5.0 . 30″ . ISO 100

Para concluir, poderias desde já desvendar os planos para a próxima viagem?
Este ano tenho estado a baixar o ritmo fotográfico já que estou a ponto de ser mãe. Como nos próximos tempos a logística familiar vai ser diferente, vou aproveitar para fotografar alguns locais em Portugal e Espanha que por proximidade têm ido ficando em lista de espera.

Sony Alpha 7R II . Sony FE16-35mmF4 @16mm . f/11 . 0.3″ . ISO 50

Subscreva a nossa newsletter

Também poderá gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *