Macro sem (quase) gastar dinheiro

Não precisa de dar cabo da conta bancária para se iniciar na fotografia macro. Pode conseguir bons resultados recorrendo a um conjunto de filtros close-up, ou tubos de extensão. Se realmente concluir que a fotografia macro é mesmo a sua paixão, aí sim poderá investir na compra de uma objetiva específica. Fique a saber tudo, ou quase tudo, sobre fotografia macro nas páginas seguintes.

Fica espantado quando vê uma fotografia macro? Quer aprofundar os seus conhecimentos, mas toda a vontade acaba por esbarrar no elevado preços do acessórios, principalmente no das objetivas? Basicamente tem duas possibilidades: ou não faz nada e continua apenas a sonhar ou a pensar no assunto; ou lê este artigo até ao fim e fica a saber que pode comprar equipamento alternativo, que faz praticamente as mesmas funções que os outros, mas a preços pequenos, tão pequenos que parecem macro.

Se está a ler estas linhas, é sinal que escolheu a opção 2 e fez muito bem!
Comecemos então pela triste realidade: para obter uma qualidade de imagem pura, as objetivas macro são imbatíveis. Afinal, elas são optimizadas para focagem próxima e estão disponíveis numa imensa variedade de distâncias focais, que podem ir dos 50mm até aos 200mm.

Claro que não há bela sem senão. Neste caso, muitos senãos… em forma de euros. Por exemplo, uma Tamron ou uma Sigma podem atingir preços na casa dos 300, 400 euros. Ainda assim, longe dos valores exorbitantes que lhe pedem por uma Canon ou uma Nikon. Nos dias que correm, percebemos perfeitamente que valores destes estão fora do orçamento da grande maior parte dos fotógrafos.

A boa notícia é que há outras formas de fazer fotografia macro a preços baixos. E não! Não estamos a falar de usar fundos de garrafa, mas sim de soluções criativas, como o uso de filtros close-up ou tubos de extensão.

Filtros close-up
Estes acessórios atarraxam-se na frente da objetiva como qualquer outro filtro. Funcionam como lupa, reduzindo a distância mínima de focagem da objetiva e permitindo ao fotógrafo aproximar-se do objeto a fotografar. Estão disponíveis em diâmetros variáveis (49mm, 52mm, 58mm ou 67mm) e em diferentes potências, nomeadamente +1, +2, +3 e +4 – e há fabricantes que produzem modelos potentíssimos de +10 –, sendo que quanto maior for o número, maior será a ampliação.

Nikon, Canon e Hoya estão entre os principais fabricantes deste tipo de acessórios, que podem ser adquiridos individualmente, ou em conjuntos que normalmente incluem filtros +1, +2 e +4.

Claro que nestas coisas os melhores negócios nem sempre se fazem nas lojas. Através da Internet poderá encontrar acessórios destes por valores abaixo dos 25 euros. Obviamente o preço depende do tamanho, na proporção de quanto mais pequenos, mais baratos. No eBay, por exemplo, pode encontrar verdadeiras pechinchas. É só pesquisar por “close-up filters” e encontrará centenas de artigos à venda.

Para ter uma ideia, um conjunto de filtros de 67mm (+1, +2, +4 e +10) pode custar-lhe menos de 12 euros. Mas atenção que a esmagadora maioria dos artigos são provenientes de vendedores estrangeiros. Há que ter em conta os custos de envio mas, da nossa “experiência”, grande parte das lojas do eBay que vendem este tipo de acessórios envia-os a custo zero!

E agora que já sabe como os procurar, resta-lhe aprender a usá-los. Ora, o uso de filtros close-up não podia ser mais simples! Não afectam funções básicas das câmaras DSLR, como a medição e a focagem automática. E, melhor do que isso, não limitam a entrada da luz na objetiva. Mas nem tudo são boas notícias. Este tipo de filtros tem como grande inconveniente o facto de serem propensos à aberração cromática e esférica. E a qualidade de imagem fica um pouco aquém daquela que é conseguida com uma objectiva macro, especialmente nas extremidades da moldura.

Mesmo assim, é possível conseguir bons resultados com este acessório. Se pretender tirar boas fotografias de texturas e detalhes em geral, esta é a melhor porta de entrada para o mundo da fotografia macro. E agora é tempo das perguntas incómodas: o que pode esperar, afinal, de um conjunto de filtros que nos fica por tuta e meia? Para começar, permite-nos chegar bem mais perto do assunto do que a objetiva conseguiria fazer sozinha. O que já não é mau de todo!

E depois há aquela enorme vantagem que é ser uma espécie de pronto-a-vestir… basta enroscá-los na objectiva e estão prontos a usar. Claro que se exigem alguns cuidados. Por exemplo, evitar combinações de vários filtros, visto que poderá implicar a perda de qualidade de imagem. Um filtro +4 é o suficiente para conseguir ampliações de 1:2. É natural que se perca alguma coisa nas extremidades e que as cores percam definição. Mas, no geral, a qualidade de imagem é francamente boa. Obviamente vai precisar de alguns truques para corrigir essas pequenas falhas. Por exemplo, com uma abertura a f/8 pode minimizar alguns dos danos.

Mas há coisas que não dá mesmo para disfarçar. A qualidade de imagem vai-se perdendo à medida que aumentar as dioptrias. E quando chegar ao +10 é provável que o resultado o deixe insatisfeito: com a exceção do centro da imagem, tudo à volta pode aparecer levemente desfocado. Por alguma razão os bons filtros +10 são caros! A solução é aprender a viver sem estes. E perceber que todos os outros filtros abaixo de +10 garantem-lhe excelentes fotografias macro. E, mais uma vez não se esqueça, o eBay poderá ser o seu melhor amigo para comprar bem baratinho qualquer acessório mencionado neste artigo.

Como poupar dinheiro
Se tiver objetivas com diferentes diâmetros deve considerar a possibilidade de comprar um “step ring”. Este acessório adapta o filtro de modo a encaixar na objetiva com menor diâmetro. Por exemplo, se tiver um filtro de 58mm e quiser atarraxá-lo a uma objetiva com diâmetro de filtro de apenas 52mm poderá fazê-lo com o anel apropriado. O que significa uma poupança em dinheiro e em espaço no seu saco de fotografia.

Em regra, são comercializados dois tipos de “step rings”: os step-up e os step-down. Os primeiros são os mais recomendáveis uma vez que se usam para enroscar filtros maiores a objetivas mais pequenas. Já os anéis step-down são usados para encaixar filtros mais pequenos a objetivas maiores, correndo no entanto o risco de obter alguma vinhetagem, um fenómeno que consiste no escurecimento à volta das extremidades da moldura.

As marcas mais populares
Quais os modelos e fabricantes que deve ter em conta na hora de escolher o seu filtro close-up? Bem, há soluções para todos os tamanhos e carteiras. A lista que se segue é só para lhe dar uma ideia do que vai encontrar.

Canon
Os modelos da Canon são da chamada construção dupla, ou seja, são compostos por dois elementos. A qualidade é elevada, mas o preço também, sendo que os de maior diâmetro podem chegar bem perto dos 200 euros.

Nikon
Dispõe de uma gama muito alargada de filtros de qualidade, incluindo os 3T, 4T, 5T e 6T – de preço mais elevado – e os mais acessíveis 0 e 1.

B+W
Marca prestigiada, comercializa filtros close-up em versões +1, +2, +3, +4, +5 e +10. Se bem que podem não estar disponíveis para todos os tamanhos.

Hoya
Disponíveis em tamanhos que vão dos 46mm aos 72mm, incluem uma gama de modelos +1, +2, +3 e +4. A marca é bastante respeitada no mercado e é uma das melhor posicionadas no segmento de preços médios.

Kood
Em regra só vende conjuntos de filtros +1, +2 e +4, apresentando preços bastante competitivos. Entre os 3 e os 70 euros pode adquirir equipamento bem razoável.

Zeikos
Mais conhecida no país de origem – EUA – do que na Europa, comercializa conjuntos de 3 e 5 filtros. Os tamanhos variam entre os 52mm e os 77mm. E são uma verdadeira pechincha!

Truques para usar filtros close-up
A – Pode combinar os filtros close-up de forma a aumentar a ampliação. Atarraxe o mais potente em primeiro lugar e o mais fraco em último. Mas, atenção, evite juntar três ou mais filtros pois a partir daí começam a surgir perturbações óticas, degradando a imagem final.
B – Este tipo de filtros tem tendência para a aberração esférica o que enfraquece a imagem como um todo. O efeito poderá ser minimizado através de uma abertura não maior do que f/8.
C – Pode ser atarraxado a qualquer objetiva, mas funcionará melhor quando combinada com uma objetiva de distância focal fixa (ou ‘prime’). Uma 50mm f/18 poderá ser uma óptima solução.

Tubos de Extensão
A outra solução de baixo custo para a fotografia macro são os chamados Tubos de Extensão. Este acessório é aplicado entre a objetiva e a câmara, permitindo aumentar a distância entre a objetiva e o sensor. Desse modo, reduz-se a distância mínima de focagem, o que lhe permite focar mais próximo do objeto. Como são ocos não contêm elementos óticos, que é como quem diz, a imagem não será afectada, ao contrário do que acontece com os filtros close-up. A desvantagem é que reduzem a quantidade de luz que entra na câmara o que significa que quanto maior for a ampliação maior é a quantidade de luz que se perde.

O medidor TTL da câmara consegue compensar esta perda, mas isso acabará por implicar velocidades de disparo mais longas. O que o obriga a maiores cuidados na hora de clicar. Mas, no essencial, os tubos de extensão são um excelente acessório: são compactos, leves e produzem óptimos resultados.

Podem comprar-se individualmente, ou então em conjuntos de três extensões, sendo as mais comuns de 12mm, 25mm e 36mm. Convém também saber que funcionam na seguinte proporção: quanto maior o tubo, maior será a ampliação. E o melhor de tudo ainda está para vir! Os vários tubos de extensão podem ser combinados uns com os outros, o que acabará por gerar elevados níveis de ampliação. Com jeitinho, até conseguem superar as capacidades de uma objetiva macro (1:1).

Mas cuidado, usar muitos tubos tem as suas desvantagens. A principal é que encurta demasiado a distância entre a câmara e o objeto. Ora, isto pode não ser um problema quando fotografar coisas inertes. Mas se o alvo for um ser vivo, aí a coisa complica-se.

Desta forma, os tubos de extensão são quase um bem de primeira necessidade, para quem quer fazer fotografia macro baratinha. Agora, o que nós não percebemos foi como é que o seu uso deixou de ser tão popular como o foi noutros tempos. Quer dizer, até percebemos. É que usá-los é mesmo coisa de outro tempo. Um tempo em que se fazia tudo à unha e as máquinas não nos adiantavam o serviço.

Com efeito, os tubos de extensão não dispõem de contactos elétricos e, como tal, a exposição e focagem têm de ser feitas manualmente. Outro senão: vai precisar de uma objetiva com anel de abertura. Caso contrário, não conseguirá ajustar o valor f/stop.

O que quer dizer que os tubos não estão ao alcance de todas as câmaras. Enquanto os utilizadores de Nikkons e Pentax podem comprar objetivas 50mm dos bons velhos tempos da focagem manual, os utilizadores das Canon, Sony e Olympus, cujas objetivas não dispõem de anel de abertura, ficam a ver navios.

E isso é uma pena, já que um destes conjuntos pode ficar-lhe por cerca de 50 euros, ou até menos! Mas se puder gastar mais um pouco, pode deitar a mão a um conjunto de tubos de extensão com contactos eletrónicos. São mais caros que os tubos normais, mas ainda assim bem mais baratos do que as objetivas macro. E ainda têm a vantagem de reterem a medição da câmara e a focagem automática. Encontra facilmente no eBay conjuntos por cerca de 100 euros. E estes já podem ser usados por possuidores de Canon, Sony e Olympus…

Por fim, falta ainda explicar como se calcula a ampliação de um tubo de extensão. Pode obter um cálculo aproximado da ampliação de um tubo, dividindo o valor da extensão pela distância focal. Ou seja, se combinar um tubo de extensão de 25mm com uma objetiva de 50mm, o rácio de reprodução será de 1:2. Já se usar uma objetiva de 100mm o resultado seria de 1:4.

No entanto, isto representa a mínima distância focal com a objetiva definida para o infinito. Neste caso, a ampliação aumenta à medida que foque mais perto. Caso pretenda atingir um nível mais elevado de ampliação, terá de combinar o tubo de extensão com a distância focal entre os 35mm e os 70mm. Tudo o que seja mais amplo do que isto proporcionará uma distância câmara-objeto demasiado curta; mais longa e precisará de uma impraticável quantidade de extensão para obter um elevado nível de ampliação.

Ora então, resumindo e concluindo… os tubos de extensão não são tão populares como foram outrora, mas ainda assim são uma opção a ter em conta para quem tem o orçamento apertado ou se está a iniciar na fotografia macro. Canon, Nikon ou Kenko, só para mencionar algumas, são marcas que fabricam tubos de extensão com qualidade. Mas na Internet pode encontrar outras marcas ainda mais acessíveis – vasculhe o eBay ou a Amazon e eles hão-de aparecer. Também convém estar atento a versões descontinuadas, como por exemplo os Minolta ou Teleplus, que são compatíveis com as DSLR da Sony.

Ah e já nos esquecíamos da lista de fabricantes…

Canon
Estão disponíveis conjuntos de 12mm e 25mm, compatíveis com objetivas EF, mantendo todas as ligações do foco e medição.

Nikon
Comercializa quatro tipos de tubos extensíveis automáticos. São eles: 8mm, 14mm, 27.5mm e 52.5mm.

Olympus
A gama de produtos deste fabricante inclui o modelo Zuiko Digital EX-25, um tubo de extensão de 25mm, que apresenta preços pouco convidativos (acima dos 150 euros).

Kenko
É material de qualidade, capaz de reter exposição TTL e controlo de focagem. Trata-se de um conjunto de três extensões (12mm, 20mm e 36mm), disponível nas dimensões mais utilizadas.

Foles, objectivas invertidas e tal
Existem ainda outros acessórios que poderá usar na sua fotografia macro. São igualmente baratos mas são quase tão difíceis de usar como de encontrar.

Os foles, por exemplo, parecem uma peça de museu. Mas a verdade é que resultam! O princípio é o mesmo que o dos tubos de extensão: aumentar a distância entre o sensor e a objectiva para uma focagem mais próxima. Desde que sejam usados em conjunto com uma boa objectiva, a imagem final andará próximo do excelente. Claro que persistem os problemas de maneabilidade. Sendo manuais, implica desactivar as funções automáticas com a trabalheira daí resultante. Ah e vai precisar de um anel de abertura de forma a modificar os f/stops.

Mas o mais difícil mesmo é encontrá-los. Mais uma vez a Internet pode ser um bom ponto de partida. Com sorte encontra um a menos de 50 euros. Ou então tente construir o seu próprio fole a partir de manuais que encontra um pouco por todo o lado.

Outra solução para fotografar macro baratinha passa pela inversão da objectiva. Que é como quem diz, virá-la ao contrário e aplicá-la assim mesmo na máquina. Ora, como as objectivas não foram feitas para andarem a ser metidas às avessas, vai precisar de um anel de inversão, um adaptador que lhe permite fazer esta pequena acrobacia.

Ora é a partir daqui é que as coisas se começam a complicar. Isto porque terá de encontrar um anel que seja compatível não só com a câmara mas também com a objectiva. Como se isto não bastasse deve ainda ter em conta que as funções automáticas não podem ser usadas com anéis de inversão mais baratos. E como se isso não bastasse, pode ainda precisar de um outro acessório para manter o diafragma aberto. Uma vez ultrapassados estes pequenos obstáculos, tem caminho livre para fazer macros de qualidade.

Claro que antes precisa de aprender um ou outro truque, Por exemplo, para maximizar a qualidade de imagem é recomendável que apenas inverta as objectivas de distância focal fixa. A Novoflex, por exemplo, é uma marca que produz anéis de inversão que retêm as funções automáticas, mas o custo é quase o mesmo que comprar uma objectiva macro de fabricantes independentes, o que não podemos considerar uma solução barata.

IDEIAS PARA MACRO A BAIXO PREÇO

Flores
Não precisa (mesmo) de grande coisa. Uns filtros close-up, ou tubos de extensão, uma objectiva, máquina e eventualmente tripé. Depois é dar asas à imaginação.

Insetos
Quem disse que necessita de uma objetiva macro para fotografar insetos? Com cuidadinho conseguirá chegar-se bem perto para uns retratos à maneira.

Texturas
Filtros close-up chegam e sobram para captar texturas diversas, ou outros detalhes, na sua plenitude. Experimente o tronco de árvores, ou o bico de um lápis.

CloseUp sem Filtro
CloseUp Filtro x2
CloseUp Filtro x10

Subscreva a nossa newsletter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *